Assine a newsletter do blog, prometo só te mandar coisas incríveis!

Ame-se!

negahamburguer

Nos últimos meses, eu tenho deixado de assistir televisão. Deixado mesmo, sabem? Abolido o hábito do meu dia a dia. Não porque eu queira parecer intelectual, descolada, não massificada. Longe disso. Eu só fiquei cansada.

Não entendeu? Vou tentar de outro jeito então. Na noite anterior, uma amiga me ligou cancelando um encontro na piscina. Disse que não iria de maneira alguma e eu, como uma boa curiosa que sou, perguntei o motivo. “Estou enorme de gorda!”, ela respondeu chorando. Respirei fundo e disse a ela que aquilo era uma grande bobagem, que a gente não deveria cancelar a nossa festa na piscina por causa daquilo. “Você é magra e linda, por isso que pensa assim!”.

Pausa demorada.

Uma vez eu fui numa festa na piscina com algumas colegas de colégio. Eu odiava usar biquíni porque ele evidenciava o quanto eu era magra e ossuda e, por vezes, as pessoas me zoavam por eu ser assim. Já fiz milhares de dietas de engorda em vão, comprava roupas mais largas para não parecer tão raquítica e naquele dia, na festa da piscina, o garoto que eu estava afim disse que nunca ficaria comigo porque eu era anoréxica (Sim, seu idiota! Espero que você chegue a ler isso e veja que eu superei!). Certo dia, entrei no ônibus uma senhora me perguntou se eu tive câncer. Alguns médicos já perguntaram se eu tenho distúrbio alimentar. Eu respondi a todas esses questionamentos da mesma forma:

“Não, eu só sou magra!”

A minha intenção não é dizer que é ruim ser magra. Eu só quero dizer que me cansa e chateia ver as pessoas lutando consigo mesmas para emagrecer, para serem belas, para serem aceitas. Volto ao começo do texto para dizer que eu deixei de assistir televisão porque é só isso que ela vem incentivando. Te mostra atrizes perfeitas, dietas milagrosas de como emagrecer em cinco semanas… Cadê a parte do fique saudável? Do ame-se independentemente do corpo que você tenha? Sabe, você não precisa ser mais alta ou mais magra!  E você, garota alta e magra, fecha essa aba na internet que te manda comer mais carboidrato para ganhar mais peso. Desiste dessa cirurgia plástica, seu nariz é lindo.

E NÃO! Eu não penso assim porque sou magra. Declaro tudo isso porque aprendi a me aceitar da forma que eu sou. Eu e todas as minhas imperfeições. O blog me ajudou muito com isso. Eu me dispus a expor meu corpo e pela primeira vez, me sinto bonita. Escuto gracinhas na rua por conta do meu peso, mas eu escolhi ligar o “vai à merda!” e ser feliz. Olho pro meu espelho todos os dias e penso que ou ele diz que eu estou bonita ou eu jogo ele fora.

Eu sou magra porque não consegui driblar uma coisa chamada genética. Tenho um metabolismo rápido e preciso comer de três em três horas por causa dele. Na educação física, eu era a última a ser chamada e a primeira a ser derrubada no futebol. Me tornei a mais alta do meu círculo de amizades e a última a ter o corpo completamente formado. E saudades seios até hoje. Mas e daí?

Quer ouvir mais verdades? Eu tenho 1,72 de altura, peso 48 kg e minhas pernas não encostam uma na outra. Como o cachorro quente da tia da UFPE quase toda semana, tenho braquidactilia e estrias na bunda. Meu cabelo é cacheado, sempre sonhei em usar aparelho e sapatos de salto não me favorecem. Roí unha durante 12 anos,  e não lembro o último dia que eu desmarquei aquela festa na piscina por causa do meu corpo.

Por que você ainda insiste em desmarcar a sua? A vida é tão linda para ser desperdiçada com pequenas preocupações…

Ilustração: Negahamburguer
Compartilhe
Bruna Aureliano
É feminista e escreve porque resolveu rejeitar o silêncio. Com 23 invernos, gosta de intensidade em tudo que faz. Uma contradição ambulante, tadinha. Ama o vintage, mas se apaixonou pelo moderno. É do rock, mas dança Rihanna. Acredita em astrologia, energias positivas e encontra na música resposta para tudo que não entende.
AnteriorPróximo
Deixe seu comentário
Newsletter
Receba as coisas mais legais do Boneca de Platina por e-mail!
Fechar