Assine a newsletter do blog, prometo só te mandar coisas incríveis!

Procura-se desesperadamente por alguém

procura-se-desesperadamente

Esse é um daqueles papos necessários que você e eu precisamos ter antes que as coisas se percam completamente. Isso porque eu estive observando muitos amigos – e inclusive, eu mesma! – caindo nessa cilada. E é cilada mesmo, amigx. Não pensa que as coisas se tornam melhores depois disso. Não pensa que a vida da gente muda só porque agora temos alguém.

São tempos de Tinder. Nada contra o aplicativo. Larguei depois de um tempo porque vi que não havia muito sentido naquilo. Pra quem não usa, explico-lhes: É um lugar para você conhecer pessoas. Aparece a sua foto e de algum lugar próximo a você, alguém vai te curtir ou não. Acontece o mesmo com você. Se duas pessoas se curtem mutuamente, é hora de abrir um chat e conversar. Muitos chats se abriram no meu tempo de Tinder. Ninguém enraizou.

O que aconteceu é que eu inventei um monte de relacionamentos na minha cabeça. A gente cria, projeta, tenta moldar uma pessoa que não cabe nos seus espaços (ou se moldar!) só pra não estar sozinho. Só para ter alguém ao seu lado, mesmo que aquela pessoa nem esteja mesmo ali. Uma procura incansável por alguém que sirva por enquanto pra preencher suas metades.

Conheci um moço que gostava de Oasis, outro que cozinhava pra mim, outro que me levava pra sair e no final da noite, nos beijávamos intensamente. Ao chegar em casa, o frio na barriga morria. Éramos apenas eu e eu mesma, deitadas na cama e assistindo uma série qualquer. Percebi que eu queria tanto uma pessoa legal pra compartilhar a minha vida, pra me dizer que tudo ia ficar bem quando as coisas não estavam, que eu esqueci do relacionamento mais precioso que eu deveria ter: Comigo mesma. Com os meus sonhos. Com a minha auto estima.

Entendi que todo aquele clichê é real: A gente precisa se amar para amar alguém. Precisamos nos completar primeiramente antes de esperar que uma pessoa chegue para nos tirar do eixo. Entender a teoria é muito mais fácil do que colocá-la em prática, como tudo na vida, mas pense que a pessoa que vai estar ao seu lado precisa estar ali pra fazer você querer ser uma pessoa melhor do que você já é! Pra pegar os seus espaços (que já são preenchidos) e te mostrar algo que tinha em você e que você ainda não havia descoberto.

Pra estar com alguém, você tem de preencher – sozinha – seus próprios vazios.

Quando isso acontece, a gente compreende quem merece realmente estar ao seu lado. Quem vai te aceitar plenamente do jeitinho que você é e não tentar te moldar ao padrão delx. Você se conhece, se reconhece e sabe o que é melhor pra você. Você irá encontrar a pessoa ideal que vai apreciar todos os seus inteiros. E meus caros, não há nada mais rico do que ser uma pessoa completa.

:::

Imagem: Lukasz Wierzbowski
Compartilhe
Bruna Aureliano
É feminista e escreve porque resolveu rejeitar o silêncio. Com 23 invernos, gosta de intensidade em tudo que faz. Uma contradição ambulante, tadinha. Ama o vintage, mas se apaixonou pelo moderno. É do rock, mas dança Rihanna. Acredita em astrologia, energias positivas e encontra na música resposta para tudo que não entende.
AnteriorPróximo
Deixe seu comentário
  • Mônica Ester

    Me ferrei valendo uma vez por causa disso. Eu me desconstruí em função de alguém que não merecia nem um boa tarde da minha boca. Foi trash, miga. Foi punk o negócio. Mas como sempre, Papai do céu me trouxe todas as respostas que precisava. E hoje eu percebo que já estou completa desde o nascimento, o que preciso na verdade é de alguém tão completo quanto eu pra sermos ainda mais completos juntos. É isso!

    • “o que preciso na verdade é de alguém tão completo quanto eu pra sermos ainda mais completos juntos. É isso!” Me abraça, por favor ♥

      • Mônica Ester

        Vem cá <3

  • Nayandra Ramos

    Amei o texto, Bru.
    Concordo com tudo. A gente anda tão desesperado pra afirmar (tanto pra gente, quanto pros outros) que tem alguém, que nem percebe que às vezes aquela pessoa não está acrescentando em nada na nossa vida e nem a gente na dela. Acaba que aceita um relacionamento abusivo ou monótono pra não ter que dizer que está sozinhx.
    Antes eu tinha muita insegurança, sou daquelas que quando está só, está só MESMO e daí via minhas amigas cumprimento fielmente o “solteira, mas n sozinha” e me questionava se tinha algo errado comigo, depois vi que não, que não era um problema o fato de eu não me encaixar em amores rasos só pra dizer que “tenho rolo” com alguém e é isso. Quanto mais a gente se conhece, melhores se tornam as nossas escolhas.
    Me identifico com tudo que você posta, como pode?! ♥

    • Ah, os amores rasos… Como lidar com eles? A gente tem que estar solteira sim, e sozinha também. Não há mal nenhum nisso!
      Fico tão feliz quando tu se identifica ♥

Newsletter
Receba as coisas mais legais do Boneca de Platina por e-mail!
Fechar